Viver Brincando

Viver brincando… 

© Márcia Sanchez Luz

 

IMG_7191recbrcont

Img: Márcia Sanchez Luz

Sublime, preciosa, delicada
és tu, minha Maria Eduarda.
Sorrio a cada dia em que te vejo
e sempre que de ti recebo um beijo.

A vida ganhou forma diferente
como se fosses tu meu afluente
enchendo de razões minha existência
minha razão de ser, doce cadência.

Lá vamos nós brincar “deita garota! ”
e lambuzarmo-nos de cremes vários,
zombando de nós mesmas, que alegria!

Também nos divertimos com beijocas
(nosso cenário é simplesmente hilário!)
Quem chega ri demais dessa folia…

Anúncios

Márcia Sanchez Luz em "EisFluências"

Revista eisFluênciaspublica Márcia Sanchez Luz, numa iniciativa de Marco Bastos, um dos colaboradores da mesma

 


A revista  está registrada no ISSN e na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro-Brasil)
ISSN 2177-5761

Direção:  Victor Jerónimo (Portugal/Brasil)

Direção Cultural: Carmo Vasconcelos (Portugal)
Responsável pela Redação: Mercedes Pordeus (Brasil)

Do que fiz

© Márcia Sanchez Luz

(Img: Márcia Sanchez Luz)

Eu fiz de teu sonhar um doce afago

e sempre que me atrevo acho morada
para guardar o afã que, sem pecado,
me assusta e de meu medo faz cilada.

Eu fiz de teu sonhar meu aliado

para entender a dor desarrumada
e sufocar o pranto num bailado
de sóis atrás da lua enamorada.

De ti fiz meu maior e eterno abrigo

(alento que me acaricia o sonho
e mostra o norte quando estou à morte.)

Com teu afago não corro perigo,

pois sei que ao lado teu me recomponho
e vou em frente, cada vez mais forte.

(Do Livro “Porões Duendes“) 

Turbilhão no céu – Agraciado com o Prêmio Bem Te Vi

Olhos que veem e entendem com o coração essa visão. Acima de nós, à nossa volta o mundo se oferece em espetáculo e sentido. Bom existirem pessoas como a Márcia que nos alertam os olhos e os ouvidos para a vida profusa e pródiga, para o trabalho sem descanso do mundo.

Aracéli Martins – São Paulo

A poeta MÁRCIA SANCHEZ LUZ nos surpreende cada vez mais com seu apuro estético. Quando pensamos que já atingiu o nirvana, ela vem e nos mostra uma beleza ainda além. Sua poética ao mesmo tempo clássica e moderna, densa no espírito e fluida na voz, simples no intento e elaborada na arte, tudo isso nos dá vontade real de lê-la: dá prazer ler a Márcia!

Fabbio Cortez – Rio de Janeiro

Belíssimo soneto. Hoje em dia, ele se põe como o Sol no ocaso, morrendo aos poucos, mas, retorna e brilha – teu soneto – e nos enche de esperança, minha linda poetisa, e doce criança.
abraços,
Mário Scherer – Porto Alegre

Márcia, só há beleza no verso quando a emoção nos encontra e os seus trouxeram-me lágrimas de alegria ao descrever a rotina de um dia.
Vc não precisa de loas, mas te acarinho porque és impar em versar bonito.
Um terno abraço, querida Poeta.
Lígia Saavedra – Ananindeua, PA

Diria, não fosse demasiadamente singelo, que em “Turbilhão no céu” Márcia se autorretrata não só por ser uma força da Natureza, mas, principalmente, pela criatividade, sensibilidade e inteligência humanas. Há que ler com atenção, pois que nas entrelinhas a universalidade fala de fatos essenciais. É, ao mesmo tempo, solene sinfonia e festeiro brinquedo de roda…
Caio Martins – São Paulo

Foi como o despertar de uma esperança / que morta se mostrava…” – belíssimo soneto, cuja métrica decassilábica parece ritmar a emoção de uma artista que prima pela sensibilidade.
A poesia de Márcia é assim: respira palavras.
Lindo, rítmico, métrico, mágico.
Parabéns, poeta, pessoa, artista Márcia Sanchez Luz.
Com carinho, respeito e admiração.
Luiz Poeta – Rio de Janeiro – Brasil

Querida Márcia,

a natureza, pródiga pintora,

eleva o céu à tela de beleza,
e vens, na tua verve encantadora,
cantá-la em tom maior de realeza.

Meu aplauso e meu abraço.

Regina Coeli – Rio de Janeiro

Éum HINO À CRIAÇÃO. E Deus fez o Mundo… e Márcia o pintou e cantou!
Saudações poéticas.
João Coelho Santos – Portugal

Márcia se afirma, a cada nova publicação, como uma das melhores sonetistas da Língua Portuguesa.
Cicero Melo – Recife

Márcia,

Incansável guerreira das letras, seus poemas, verdadeiramente, expõem a beleza das letras.

Adoro o brilho de suas criações.
Abraços,
Paulo Roberto Bornhofen – Blumenau, SC

Cultivar, nos dias de hoje e com tamanha maestria, a forma do soneto, é algo realmente muito raro.
Obra de ourives esta sua lavra mais recente. Meu aplauso, Márcia!
Marcelo Pirajá Sguassábia – Campinas, SP

Márcia,

Descrição da natureza, com sensibilidade e agregando tons próprios, ficou lindo. Você se desincumbiu otimamente do tema, um dos meus preferidos, poeta, parabéns!
Rizolete Fernandes – Caraúbas, Rio Grande do Norte

GRANDE LUZ,
QUANDO O CÉU PARIU
O SOL,
TU ESTAVAS LÁ COM TUA
POESIA AZUL.

ANTONIO DE CAMPOS – Pernambuco

Incansável a peregrinação
Por teus caminhos
Que verso e reverso são

Adroaldo Bauer – Porto Alegre

Márcia Sanchez Luz em "Melhores da Poesia Brasileira"

Organização: Jane Rossi e Monica Rosenberg
Autores convidados:
Thiago De Menezes – Prefácio
Wilson de Oliveira Jasa – Apresentação
Adelaide Ortiz
Alzira Andrade
Amarilis Pazini Aires
Andrea Lucia
Ataíde Lemos

José Antônio Gama De Souza – Balzac
Bebe – Elisabeth Zamboneti Rylko  
Brenda Mar(Que)S Pena
Celina Vasques
Clau Assi
Cláudio Bento
Clevane Pessoa de Araújo Lopes
Cler Ruwer
Conceição Bentes
Dimythryus
Deslanieve Daspet
Dorothy De Castro
Dyandreia Valverde Portugal
Luna Freire
Elcio José de Moraes
Elias Akhenaton
Edvaldo Marcelo Vieira da Silva
Edvaldo Rosa
Eugenio Santana

Scoffeald Mik
Emilia De Paula

Fabiano Fernandes Garcez
Fabio Ramos

Flor de Esperança
Helena Frontine
Hortência Lopes
Irsemis
Wiezel Benedick
Izabel Marques
Jaak Bosmans
Janaina Rossi
Jane Rossi
Jenario De Fátima

Jiselda Oliveira
João Udine Vasconcelos

Joaquim Moncks
Jorge Luiz Vargas
José Bonifácio

Júlio Teixeira de Lima
Katia Pérola
Leila Ullmann
Luiz Carlos Costa Paula
Machado De Carlos
Márcia Sanchez Luz
Marçal Filho
Maia De Melo Lopo
Manuel Paulo

Maria Dolores Pimentel de Rezende
Maria Helena Sleutjes
Maria Moreira
Maria Zimbrunes Dutra

Marco Llobus
Marco Antonio Orsi
Marcus Rios
Marleninha Castilho
Marilia Abduani
Marisa De Medeiros
Marta Bittencout
Mírian Warttusch
Monica Rosenberg
Mora Alves
Neide Cardoso
Neneca Barbosa
Nice Ventura
Osvaldo Antônio Begiato
Osmar Vasconcelos
Homenino Poeta
Raimundo Nonato
Raquel Dias
Regina Pessoa
Regina Kreft
Rô Lopes
Rosângela de Souza Goldoni
Rossana Monteiro
Sá De Freitas
Selene de Lima Maria (Selene Antunes)
Simone Cristina
Sônia Maria Nunes
Télio Diniz
Teresa Improta Monnier
Terezinha Oliveira
Terezinha Werson
Valdeck Almeida De Jesus
Valquíria Cordeiro Goulart Gonçalves
Washington Ramos
Zeza Marqueti

Aqui onde moro…


© Márcia Sanchez Luz

(Img: Márcia Sanchez Luz)











Aqui onde moro
quero-queros logo gritam
se alguém se aproxima.
A coruja à tarde observa
pra de noite começar.

Tartarugas no verão
primavera por que não?
Correm lépidas pra chuva
atrás de água pra beber
cantinho pra namorar.

Beija-flores nas grevilhas
russélias brancas, vermelhas
aguardam carinhos e beijos
enquanto ixoras sorriem
esperando sua vez.

Jasmins de todas as cores
com suas formas variadas
exalando olores diversos
perfumam o ar, dançam ao vento
trazem paz, doces alentos.

Jerivás e guarirobas
reais e imperiais
arecas e washingtônias
palmeiras aqui não faltam
pra brindar as helicônias.

Aqui onde moro me integro
entrego-me às plantas e aos bichos.
Mensageiros do vento tilintam
alertam pra chuva que vem
e pra que vai embora também.

Os bichos que aqui trafegam
não precisam de controle
seja em terra ou no ar…
Não se agridem como os homens
vivem em total sintonia.


*Do Livro “No Verde dos Teus Olhos”– Editora Protexto, PR – 2007