Alzheimer

© Márcia Sanchez Luz

Em memória de minha mãe, Nilze, que ontem fez sua passagem e nos deixa cheios de saudades…

 





“Não vou sentir saudade.
Vou guardar você no meu coração.”

Francisco Sanchez








O olhar distante, a fala deprimida,

uma canção antiga na vitrola,
a busca inútil no vazio da vida
que traz no vento a dor que desconsola.

Chegando a noite veste a camisola

e nutre a espera, como se fingida
fosse em querer lembrar porque se isola
de um mundo onde a memória é já perdida.

De manhã cedo os pássaros deslizam

por sobre seu jardim para avisar
que o dia que chegou é na verdade

um tempo onde a palavra é só saudade

de um astro que não pode mais brilhar.
Recordações agora se anarquizam…

 

(Do livro “Quero-te ao som do silêncio!“)

Ser Mãe…


Mãe e Filho – Gustave Klimt


Ser mãe é ser alguém que na alvorada
bendiz o brilho que anuncia o dia
trazendo a luz do sol em sintonia
com o burburinho de uma passarada.

Ser mãe é ser a doce madrugada
que põe um fim à mágoa doentia;
é ser também a força da magia
curando a febre que se faz calada.

Ser mãe é buscar sempre uma saída
para acalmar o coração inquieto
do filho que se fecha em seu afeto.

Ser mãe é estar atenta para a vida,
é ver além do amor que não deu certo,
fazendo de sua cria um ser liberto.

© Márcia Sanchez Luz